Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Juiz pede rigor em investigações sobre '''ranking do sexo''' em MG: '''Tem que punir exemplarmente'''

Magistrado disse que pedirá prisão preventiva de autores de lista que causou revolta em Muzambinho.

 
 -  Lista viralizou e expôs mulheres moradoras de Muzambinho  Foto: Reprodução/WhatsApp
Lista viralizou e expôs mulheres moradoras de Muzambinho Foto: Reprodução/WhatsApp

O juiz de Direito da comarca de Muzambinho (MG), Flávio Schmidt, pediu rigor à polícia nas investigações sobre a origem de um "ranking do sexo", que expõe intimidades sexuais e faz ofensas e mulheres maiores e menores de idades, moradoras da cidade, que tem pouco mais de 20 mil habitantes. Em contato com o G1, o magistrado disse que pedirá a prisão preventiva dos envolvidos assim que eles forem identificados.

O caso ganhou repercussão após o conteúdo viralizar por meio de compartilhamentos em grupos de mensagens instantâneas. Além de citar nomes, o ranking também atribui adjetivos pejorativos às vítimas. Apesar de pedir rigor às investigações, o juiz afirma que esse será um processo lento, principalmente por conta da política de privacidade do aplicativo, que não permite a divulgação de informações.

"Tem que punir exemplarmente. Isso não pode acontecer. Envolve toda a sociedade, pessoas de bem. Temos que coibir. São famílias, pais que estão desesperados, as meninas estão acuadas em casa. Eu tenho aqui dentro do fórum duas funcionárias que não vieram trabalhar", disse Schmidt.

Lista atribuiu adjetivos pejorativos às moradores (Foto: Reprodução/WhatsApp) Lista atribuiu adjetivos pejorativos às moradores (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Lista atribuiu adjetivos pejorativos às moradores (Foto: Reprodução/WhatsApp)

Segundo o juiz, nestes casos os suspeitos são enquadrados na Justiça comum, em crimes cibernéticos.

“Tem que ver cada caso, porque o próprio fato de você fazer a publicação, curtir ou compartilhar também dá punição. As pessoas entram nessa onda de compartilhar, de passar para o outro grupo, e isso aí vai dando consequência jurídicas", disse.

A Polícia Civil deverá começar a ouvir as vítimas e testemunhas nos próximos dias. O delegado Sílvio Sérgio Domingues abriu inquérito para investigar o caso. Segundo o juiz Flávio Schmidt, assim que os criminosos forem identificados, serão expedidos mandados de busca e apreensão para perícia em celulares e computadores e também mandados de quebra de sigilo dos envolvidos.

Vítimas postaram sobre a lista nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook) Vítimas postaram sobre a lista nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

Vítimas postaram sobre a lista nas redes sociais (Foto: Reprodução/Facebook)

O ranking

O ranking compartilhado traz o nome de mais de 100 mulheres de várias idades, casadas e solteiras, atribuindo a elas o adjetivo de "put..". Em vários dos nomes, o autor atribui às mulheres posições sexuais e ofensas, como "só tem cara de santa", "a pior", "quem nunca", além de várias outras com palavras de baixo calão.

Alguns nomes também são acompanhados da referências pessoais (nome dos pais, local de trabalho, entre outros) para que não houvesse dúvidas de a quem o autor se referia.

Veja mais notícias da região no G1 Sul de Minas

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE