Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Coletado material para exame de DNA das 9 vítimas de acidente com rebocador

Os corpos resgatados saíram de Óbidos em uma lancha e chegaram a Santarém na madrugada desta quinta-feira 7 . O rebocador foi içado do fundo do rio Amazonas 4 meses após bater com navio.

 
 -  Navio da Mercosul Line com parte da balsa da Bertolini presa ao casco, na semana do acidente  Foto: Marcos Cantuario/Sentinela TV
Navio da Mercosul Line com parte da balsa da Bertolini presa ao casco, na semana do acidente Foto: Marcos Cantuario/Sentinela TV

As nove vítimas do acidente com rebocador no rio Amazonas serão identificados por exame de DNA, devido as condições em que os corpos foram encontrados (esqueletizados e semi esqueletizados) segundo informou o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPC) durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira (7) no auditório da Estação Cidadania em Santarém, oeste do Pará. O material foi coletado no IML e o exame será feito pelo Laboratório Forense que fica na capital do estado.

Os corpos resgatados saíram de Óbidos em uma lancha e chegaram em Santarém na madrugada desta quinta-feira para necropsia. O rebocador foi içado do fundo do rio Amazonas 4 meses após bater com navio.

VEJA QUEM SÃO OS 9 DESAPARECIDOS

REBOCADOR É IÇADO 4 MESES DEPOIS

RESGATE DOS NOVE CORPOS

Segundo o CPC, se coleta o material biológico da vítima e de parentes próximos das vítimas, como o pai, mãe ou irmãos. É traçado o perfil genético da vítima e perfil genético familiar para ver se há compatibilidade, para depois afirmar, com grau de 99, 9% de certeza essa relação.

Ainda não há prazo estimado para a conclusão dos exames, mas a expectativa é de que os resultados possam sair em até 30 dias. E à medida que os corpos forem identificados, eles serão entregues à família para o sepultamento.

O acidente

A embarcação com 11 tripulantes afundou depois de bater com um navio da Mercosul Line no dia 2 de agosto deste ano. Duas pessoas conseguiram se salvar. De acordo com a Marinha do Brasil, o rebocador seguia no sentido oposto quanto bateu com o navio, por volta de 4h30. Equipes do Corpo de Bombeiros de Santarém e de Belém, composta por mergulhadores e militares da Capitania Fluvial e Marinha do Brasil, fizeram buscas, mas ninguém foi encontrado.

Navio da Mercosul Line com parte da balsa da Bertolini presa ao casco, na semana do acidente (Foto: Marcos Cantuario/Sentinela TV) Navio da Mercosul Line com parte da balsa da Bertolini presa ao casco, na semana do acidente (Foto: Marcos Cantuario/Sentinela TV)

Navio da Mercosul Line com parte da balsa da Bertolini presa ao casco, na semana do acidente (Foto: Marcos Cantuario/Sentinela TV)

 

 

 

PUBLICIDADE

Curiosidades

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE