Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Concessão a empresas de ônibus em Belém será de 12 anos e vencedoras deverão garantir ar condicionado nos coletivos

Para o autor do projeto, a mudança beneficiará a população e trará melhorias no transporte público. Já o Psol diz que o projeto de emenda é curto, com uma folha apenas, e basicamente altera o tempo de concessão, não versa explicitamente sobre a questão do

 
 -  Câmara Municipal de Belém  Foto: Câmara Municipal de Belém
Câmara Municipal de Belém Foto: Câmara Municipal de Belém

Foi aprovado em segundo turno nesta terça-feira (5), na Câmara Municipal de Belém, o Projeto de Lei que altera dispositivos da Lei Orgânica do Município de Belém (LOMB). O projeto foi proposto pelo vereador Victor Dias (PTC) e dobra o tempo de concessão das empresas de ônibus vencedoras da licitação para atuar no município. Com isso, o contrato será estendido para 12 anos, ao invés dos seis estabelecidos anteriormente. Além do maior tempo contratual, a empresa vencedora será obrigada a garantir ar condicionado nos coletivos da capital paraense. Mas no texto da emenda isso não é citado explicitamente.

Para o autor do projeto, a mudança beneficiará a população e trará melhorias no transporte público. “O projeto que propunha a refrigeração nos ônibus era inconstitucional e não cabia a essa casa legislar sobre isso. Após essa aprovação, o edital de concessão pública vai exigir que os ônibus tenham refrigeração. Alcançamos uma vitória”, disse.

De acordo com a CMB, foi necessário o consenso entre os vereadores que assinaram a documentação com as alterações, concordando com a revisão e modificação do projeto para que a emenda entrasse em pauta. Do total de 35 vereadores, 20 parlamentares assinaram a solicitação. A primeira votação no dia 14 de novembro foi aprovada por unanimidade. Nesta terça-feira, apenas a bancada do PSOL se absteve da votação.

Para o vereador Fernando Carneiro (PSOL), a melhoria do serviço ainda não é garantida. “Até agora só vi o benefício para o empresário que vai ter 12 anos de contrato. Para a população, eu não sei”, questionou.

O Psol diz que o projeto de emenda é curto, com uma folha apenas, e basicamente altera o tempo de concessão, não versa explicitamente sobre a questão do ar condicionado. Ou seja, não põe como uma obrigação às empresas e não estabelece prazos ao longo dos 12 anos.

O primeiro projeto referente ao assunto foi aprovado no começo deste ano. A proposta encaminhada pela prefeitura de Belém não só garantia o processo de licitação do transporte público, como também o funcionamento do BRT com ônibus articulados, climatizados e com rede de wi-fi. Na época, o projeto estabeleceu apenas seis anos de concessão, o que, para os vereadores, não era vantajoso para as empresas de fora ou dentro do estado, já que o investimento seria alto para um curto espaço de tempo.

O projeto de lei ainda precisa passar pela sanção do prefeito Zenaldo Coutinho para entrar em vigor.

Envie vídeos, fotos e sugestões de pauta para a redação do G1 Pará no (91) 98814-3326.

 

 

 

Veja mais:

PUBLICIDADE
Educação As incríveis esculturas Swimming Reindeer, de mais de 13 mil anos
Cinema Casais famosos no cinema que se odiavam atrás das câmeras
Celulares Vídeos Youtube poderão ser abertos dentro do Whatsapp
Variedades Saiba porque os pacotes de batatas tem tanto ar
Celulares Recursos legais do botão central nos fones de ouvido do iPhone
Música Ariana Grande x Christina Aguilera. Quem imita melhor?
Ecologia Será que só os humanos perderam o sentido de amor?
Variedades Um teste que os adultos não conseguem resolver, uma criança encontra a resposta em poucos segundos
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE