Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

REGIONAL

Governo e Judiciário preparam realização de Mutirão Fiscal Estadual

 
O Governo de Mato Grosso e o Poder Judiciário vão realizar entre 11 e 21 de dezembro, na Arena Pantanal, o 2º Mutirão Fiscal Estadual. Durante o Mutirão Fiscal, contribuintes da capital e do interior (via internet) poderão renegociar suas dívidas pelo Refis, com órgãos como Secretarias de Fazenda, Meio Ambiente, Procuradoria Geral do Estado, Detran, Procon, Indea e Ager, entre outros.

O Mutirão Fiscal faz parte também do Programa ‘Efetividade na Execução Fiscal’, da Corregedoria Geral da Justiça (CGJ-MT), coordenado em nível nacional pelo Conselho Nacional de Justiça. Na sexta-feira (10.11), no Fórum de Cuiabá, foi realizada a primeira reunião preparatória, coordenada pela corregedora do TJMT, desembargadora Maria Aparecida Ribeiro.

Na manhã desta segunda-feira (13.11), representantes de órgãos envolvidos no Mutirão Fiscal estiveram na Arena Pantanal para discutir como será feito o acesso dos contribuintes, local de atendimento e equipamentos necessários para a realização do evento, que será no 2º andar do Setor Oeste do estádio. O secretário adjunto de Esportes e Lazer, Leonardo Oliveira, que administra o estádio, apresentou de que forma a Arena Pantanal poderá ser utilizada durante o mutirão.

“Acredito que o trabalho conjunto entre os Poderes Executivo e Judiciário vai trazer o resultado desejado. Para os contribuintes é última oportunidade de renegociar suas dívidas, com parcelamento e ainda recebendo descontos nas multas e nos juros”, disse durante a visita a procuradora geral do Estado, em exercício, Gabriela Novis Neves Pereira Lima.

Otimista com os resultados do mutirão Fiscal está também a juíza da Vara Especializada de Execução Fiscal, Adair Julieta da Silva. Ela acredita que o mutirão ajudará a reduzir a carga dos mais de 60 mil processos que estão hoje tramitando na Vara de Execução Fiscal.

“Isso visa a política da desjudicialização dos processos de executivos fiscais e também o descongestionamento desses processos que tem o maior número em todo o Poder Judiciário, que são os de execução fiscal. Aqui nós vamos tratar de procedimentos pré-processuais como também os processuais. A recuperação de créditos é muito importante também. A nossa expectativa é uma totalização de R$ 400 milhões arrecadados. É um valor alto, mas vamos tentar chegar a esse montante”, afirmou a juíza Adair Julieta.

Hoje existem na PGE cerca de 400 mil contribuintes inscritos na dívida ativa, cujo montante chega a R$ 34 bilhões. O mutirão visa, entre outras coisas, a quitação de débitos como IPVA, ICMS e ITCMD, inscritos ou não na dívida ativa.

Para o subprocurador Fiscal Leonardo Vieira de Souza, a parceria entre o Poder Judiciário e o Governo do Estado para a realização do Mutirão Fiscal é importante para todos os envolvidos. “A diminuição de processos é o que se busca como a única forma de solucionar a maioria dos problemas. Inevitavelmente essa ação vai diminuir tanto a quantidade de ajuizamento de execuções fiscais, vai reduzir as novas demandas e também encerrará várias demandas que estão no Judiciário”, salientou.


Da Assessoria


 

 

 

PUBLICIDADE
Saúde e Bem Estar Diga adeus aos cabelos brancos! Você só precisa de 5 minutos e ingredientes naturais!
Comportamento Quer impressionar uma garota? aqui vão algumas dicas
Turismo Castelo de Belvoir: um dos mais belos castelos da Inglaterra e o assento dos duques de Rutland
Variedades Magnum 44
Educação Restos infantis em tumbas do Peru sugerem rituais de sacrifícios humanos
Variedades Como plantar abacate em casa?
Comportamento Algumas dicas que irão ajudá-lo a gastar menos dinheiro quando fizer compras
Ciência Experimento de Sala de Aula: Colocar ovo na garrafa
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE