Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Bando que invadiu centro socioeducativo queria matar jovem que havia fugido, diz juiz

Durante a invasão, eles retiraram adolescentes que moravam em bairros dominados por facções rivais. Pelo menos quatro crianças foram assassinadas.

 
 -  Centro de Semiliberdade Mártir Francisca, que registrou chacina durante madrugada, era tido como centro modelo no Ceará  Foto: Reprodução Facebook/E-
Centro de Semiliberdade Mártir Francisca, que registrou chacina durante madrugada, era tido como centro modelo no Ceará Foto: Reprodução Facebook/E-

O bando que invadiu o Centro de Semiliberdade Mártir Francisca e matou pelo menos quatro crianças tinha o objetivo de matar um adolescente que fugiu do local no sábado (11). De acordo com o juiz Manoel Clístenes, da 5ª Vara da Criança e Adolescência, como os criminosos não encontraram o "alvo" deles, eles retiraram do local seis crianças de bairros onde há presença de facções rivais às deles.

Há confirmação de quatro crianças mortas pelo grupo que invadiu o centro socioeducativo; outros dois corpos de crianças foram encontrados, e a perícia investiga se ele pertence às outras duas crianças que foram retiradas do centro.

"Elas foram assassinadas de forma bárbara e provavelmente são as outras duas crianças", diz Manoel Clístenes. Segundo o juiz, as vítimas têm entre 13 e 17 anos e "não há comprovação de que elas tenham envolvimento com facções e traficantes".

As duas crianças assassinados tiveram os corpos mutilados com siglas de grupos criminosos, acrescenta o juiz.

Durante a confusão, cerca de 20 crianças fugiram. Elas foram recapturadas e devolvidas às famílias.

Suspeitos identificados

Equipes da polícia em frente ao centro Mártir Francisca, de onde adolescentes foram retirados e assassinados em rua próxima (Foto: TV Diário/Reprodução) Equipes da polícia em frente ao centro Mártir Francisca, de onde adolescentes foram retirados e assassinados em rua próxima (Foto: TV Diário/Reprodução)

Equipes da polícia em frente ao centro Mártir Francisca, de onde adolescentes foram retirados e assassinados em rua próxima (Foto: TV Diário/Reprodução)

Manoel Clístenes participou na tarde desta segunda-feira (13) de uma reunião de emergência para tratar sobre o caso com representantes da Justiça, Governo do Estado e Ministério Público. Na reunião, conforme Clístenes, foi revelado que os suspeitos da Chacina da Sapiranga foram identificados.

"Foi pedido uma ação forte do Governo do Estado. Os promotores do Ministério Público inclusive estavam indignados com o caso, pediram desculpas pela indignação e cobraram uma ação forte. Foi uma afronta ao Estado. É como se eles pensassem que podem fazer o que quiser."

Até a noite desta segunda-feira, ninguém foi preso. A polícia reforçou as buscas pelos suspeitos.

Centro temporariamente fechado

Ainda conforme Manoel Clístenes, por falta de segurança, o Centro de Semiliberdade Mártir Francisca ficará fechado por pelo menos uma semana.

Ele explica que as crianças recebem no local oportunidades de estudo e desenvolvimento de trabalhos artísticos e sociais. À noite, eles dormem no local; nos fins de semana e feriados, eles voltam para casa.

 

 

 

PUBLICIDADE
Música Nevermind, as curiosidades deste disco histórico do Nirvana
Turismo Mundo Subterrâneo: Um incrível reino descoberto depois de milhões de anos oculto
Culinária Bolo de leite condensado (sem farinha)
Saúde e Bem Estar Como ter as mãos lindas e suaves em apenas 60 segundos
Comportamento Veja como os padrões masculinos mudaram ao longo dos últimos 100 anos
Variedades O que seu nariz diz sobre você?
Saúde e Bem Estar Por que você deve dormir nu
Música Ariana Grande x Christina Aguilera. Quem imita melhor?
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE