Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Delegados e policiais civis denunciam as más condições de trabalho no Maranhão

Profissionais alegam que as péssimas condições em delegacias, viaturas e o não pagamento de diárias estão prejudicando o andamento dos trabalhos.

 
 -  Carceragem da delegacia de Alto Parnaíba funcionava em uma casa construída há mais de 50 anos.  Foto: Reprodução/TV Mirante
Carceragem da delegacia de Alto Parnaíba funcionava em uma casa construída há mais de 50 anos. Foto: Reprodução/TV Mirante

Delegados e Policiais Civis do Maranhão denunciam as péssimas condições de trabalho e o atraso e não pagamento de diárias que são usadas para fiscalizações no interior do estado. De acordo com o Sindicato dos Policiais Civis do Maranhão (Sinpol-MA), além das delegacias sucateadas, há mais de 70 cidades maranhenses que não possuem a presença da polícia. O Maranhão possui 1600 policiais civis distribuídos em 18 regionais da Polícia Civil.

Segundo os profissionais, os problemas de infraestrutura prejudicam o trabalho do sistema de segurança pública do estado. Os policiais reclamam das péssimas condições das viaturas, da falta de material para o trabalho, além do funcionamento de delegacias que estão abrigadas em prédios alugados e sem estrutura.

No sábado (11), presos que estavam na delegacia de Alto Parnaíba, a 875 km de São Luís, foram transferidos para a carceragem de Balsas por conta das péssimas condições do local. A delegacia funcionava em um prédio construído há mais de 50 anos e que apresentava graves problemas de segurança.

Carceragem da delegacia de Alto Parnaíba funcionava em uma casa construída há mais de 50 anos. (Foto: Reprodução/TV Mirante) Carceragem da delegacia de Alto Parnaíba funcionava em uma casa construída há mais de 50 anos. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Carceragem da delegacia de Alto Parnaíba funcionava em uma casa construída há mais de 50 anos. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

“A Policia Civil já não consegue exercer seu estado de forma plena realmente combatendo essa criminalidade e sempre com falta dessa estrutura. Seja por falta de efetivo que não temos, seja pelas delegacias, pelos locais de trabalho totalmente insalubres, inadequados e desumanos para se trabalhar”, disse Elton Jhon da Rocha, presidente da Sinpol–MA.

Além das péssimas condições de trabalham, a categoria reclama do atraso e não pagamento das diárias de trabalho. De acordo com a lei, o dinheiro deve ser pago com antecedência e é usado para realizar viagens de fiscalização no interior do estado. Entretanto, eles reclamam do atraso no pagamento e afirmam que muitos policiais estão tirando do próprio bolso para poder trabalhar. Um policial civil costuma receber em média, R$ 150 reais de diária e um delegado, por exemplo, pouco mais de R$ 170 reais.

Viaturas da Polícia Civil do Maranhão estão sem passar por manutenção.  (Foto: Reprodução/TV Mirante) Viaturas da Polícia Civil do Maranhão estão sem passar por manutenção.  (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Viaturas da Polícia Civil do Maranhão estão sem passar por manutenção. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

O Sinpol denuncia os altos valores de diárias que são pagas para o setor de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA). De acordo com o sindicato, somente no primeiro semestre do ano, teriam sido desembolsados mais de R$ 70 mil reais e categoria reclama do alto valor pago para profissionais que não precisam se deslocar para realizar a apuração de casos policiais.

“Nem digo que é ilegal aquilo que foi pago aos comunicadores da SSP. O que nos causa indignação e que nós questionamos e denunciamos é porque tem para esse setor que não é atividade de fim a SSP. Os próprios delegados, investigadores, policiais, escrivães e peritos todos os demais profissionais que viajam e que deveriam receber esse custeio e não recebem. Ai você fica se perguntando: que dizer que pra comunicação tem pra segurança não tem? Para os policiais não tem?”, explica Elton Jhon.

Presos foram transferidos da delegacia de Alto Parnaíba por conta das péssimas condições de trabalho.  (Foto: Reprodução/TV Mirante) Presos foram transferidos da delegacia de Alto Parnaíba por conta das péssimas condições de trabalho.  (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Presos foram transferidos da delegacia de Alto Parnaíba por conta das péssimas condições de trabalho. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Por meio de nota, a Associação dos Delegados da Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA), afirma que alguns profissionais estariam sofrendo retaliação por denunciar irregularidades e enfrentando processo administrativo disciplinar. De acordo com o documento divulgado pela Adepol, as denúncias ilustram o desvio de poder e abuso de finalidade que ocorre dentro da Polícia Civil do Maranhão.

O Governo do Maranhão não se manifestou sobre os problemas denunciados pela Associação dos Delegados da Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA) e pelo Sindicato dos Policiais Civis (Sinpol-MA).

Associação dos Delegados de Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA) afirma que alguns delegados estariam sofrendo retaliações.  (Foto: Reprodução/TV Mirante) Associação dos Delegados de Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA) afirma que alguns delegados estariam sofrendo retaliações.  (Foto: Reprodução/TV Mirante)

Associação dos Delegados de Polícia Civil do Maranhão (Adepol-MA) afirma que alguns delegados estariam sofrendo retaliações. (Foto: Reprodução/TV Mirante)

 

 

 

PUBLICIDADE
Variedades Você sabe quais são os lugares mais seguros no avião?
Comportamento 8 segredos da linguagem corporal que usam todas as pessoas bem sucedidas. A 6ª é essencial.
Ciência Crânio encontrado em West Sussex sugere que as praias da região foram usadas como cemitérios
Artes Imagens de trabalho de Andrew Hickinbottom
Variedades Super Heróis em situações inusitadas
Saúde e Bem Estar O efeito das bebidas energéticas no seu corpo
Ecologia Flor de jabuticaba
Música Ariana Grande desmente calvicie exibindo cabelos crespos
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE