Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Jovem é baleado na cabeça durante abordagem da PM e morre em Ouro Preto

Igor Mendes, 20 anos, será enterrado neste domingo 17 . Testemunha criticou a ação policial e disse que houve despreparo; corporação afirmou que o PM achou que rapaz sacaria arma.

 
 -  Igor Arcanjo Mendes foi morto por um policial a caminho de um show, em Ouro Preto  Foto: Giovanni Arcanjo João/Arquivo pessoal
Igor Arcanjo Mendes foi morto por um policial a caminho de um show, em Ouro Preto Foto: Giovanni Arcanjo João/Arquivo pessoal

Um jovem de 20 anos morreu após ser baleado na cabeça por um policial militar durante uma abordagem no Centro de Ouro Preto, na Região Central de Minas Gerais, no fim da noite desta sexta-feira (15). Igor Arcanjo Mendes ia para um show, quando o carro em que estava foi parado pela polícia. Ele foi atingido por um tiro no banco dianteiro de passageiro. O caso é investigado, e testemunhas começaram a ser ouvidas neste sábado (16).

A PM informou que o veículo descumpriu uma primeira ordem de parada e que o rapaz fez um movimento brusco durante batida policial, na Rua Pacífico Homem de Melo. Em redes sociais, família e amigos criticaram a ação da PM. O G1 conversou com familiares e com motorista do carro. Este nega ter desobedecido a uma ordem de parada e afirmou que os policiais agiram com despreparo.

"Houve despreparo. A gente estava descendo o Morro da Forca, a 25 km/h, e a polícia veio atrás, pedindo pra parar. Emparelhou com meu carro, eu desliguei, puxei o freio de mão e coloquei a mão na cabeca. Ouvi um disparo, que parecia uma bomba. Igor caiu com meio corpo do lado de fora. Ele já estava pra sair e ainda conseguiu abrir a porta", disse José Barcelos, 46 anos. Ele já prestou depoimento e informou que apenas levaria Igor e conhecidos ao show.

De acordo com a tenente Marta Guido, assessora de comunicação organizacional do 52º Batalhão da Polícia Militar de Ouro Preto, foi registrado no boletim de ocorrência que, durante batida policial por volta das 23h, foi visualizado um carro com vidros escuros e seis pessoas, o qual somente parou após segunda ordem. A PM reafirmou o número de ocupantes mesmo com o vidro tendo película.

Ainda conforme a PM, Igor fez um movimento brusco, e o policial avaliou que ele pegaria uma arma e atentaria contra a equipe. Neste momento, atirou. A tenente informou que o caso está sento tratado como legítima defesa. Segundo a PM, a vítima foi socorrida imediatamente, mas já deu entrada morta no hospital.

O auxiliar de serviços gerais Giovanni Arcanjo João, tio do Igor, questionou a ação da PM e afirmou que havia, cinco pessoas no carro e não seis. Ele e a família estão revoltados. Segundo ele, Igor foi morto com um tiro de fuzil.

“Os outros quatro passageiros foram levados para o quartel, onde ficaram de manhã, e tiveram os celulares recolhidos. Somente por volta das 13h30, o motorista do carro, que é vizinho nosso e só levaria os meninos no show, procurou a família. Ele falou que a polícia atravessou a viatura na frente do carro deles, saíram quatro policiais e mandaram colocar a mão na cabeça. Nisso, houve um disparo de arma de fogo. Ele contou que não deu tempo nem de saírem do carro”, disse Giovanni Arcanjo João. Segundo o tio, o mesmo tiro atingiu de raspão uma adolescente que estava no carro.

Em rede social, a irmã da vítima disse que a porta do carro teria travado. “O carro que meu irmão estava foi parado e solicitaram que os passageiros saíssem, a porta do meu irmão travou, ele não conseguiu abrir e por medo ou impulso ele levantou as mãos, nesse momento os polícias atiraram na cabeça dele, dentro do carro. Sem chance de falar, sem chance de reagir, sem chance de se explicar”.

Um primo do rapaz disse que a mãe e os três irmãos de Igor estavam muito abalados para dar entrevista. Por volta das 4h, policiais bateram na casa dele e disseram que Igor havia sido baleado. Douglas Arcanjo falou sobre o primo.

“Era uma pessoa calma, trabalhador, não tinha envolvimento com drogas, nem passagem pela polícia. Ajudava a família com o sustento, trabalhando como jardineiro", contou Douglas Arcanjo. Imediatamente, a mãe do jovem foi para a Santa Casa de Misericórdia de Ouro Preto e já o encontrou morto. Igor será enterrado neste domingo (17) em Ouro Preto.

A corporação disse que abriu um inquérito policial militar para apurar a morte. O militar que atirou foi encaminhado para o quartel da cidade, segundo a PM, que não informou se ele ficará preso. O caso será acompanhado e apurado pela Corregedoria da Polícia Militar de Minas Gerais.

Por meio de nota, a PM acrescentou que foram encontrados dois pinos e um invólucro com substância semelhante à cocaína dentro do carro, além de um bucha de material semelhante à maconha nas vestes da vítima. A família recebeu esta informação com indiginação e reafirmou que Igor não tinha envolvimento com drogas. "Isso é pra acobertar a ação da polícia", constestou o primo.

A Polícia Civil informou que também investiga o caso e que já começou a ouvir testemunhas.

  • Belo Horizonte

 

 

 

PUBLICIDADE
Saúde e Bem Estar O que está acontecendo no nosso corpo se dormimos depois das 23 horas
Saúde e Bem Estar Tatuagens podem causar doenças, saiba os riscos antes de fazê-las
Ecologia Tenha rosas em casa durante o ano todo
Variedades Apenas 3% da população mundial tem a marca X em ambas as mãos
Saúde e Bem Estar Fumar ajuda perder peso? Veja como esse mito deixou doente milhões de adolescentes no mundo
Variedades Você sabe quais são os lugares mais seguros no avião?
Artes Algumas criações de bons artistas
Variedades Já viu como funciona uma fechadura por dentro?
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE