Cidades

Cidades

Fechar
PUBLICIDADE

Cidades

Juíza ouve testemunhas em caso de presa por matar grávida para retirar bebê, em Nerópolis

Duas pessoas chamadas pela defesa não compareceram e depoimento de acusada foi adiado. Mulher havia confessado crime à Polícia Civil.

 
 -  Mulher é presa suspeita de matar grávida e cortar barriga para tirar bebê, em Goiás  Foto: Reprodução/TV Anhanguera
Mulher é presa suspeita de matar grávida e cortar barriga para tirar bebê, em Goiás Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A juíza Lucia Carrijo Costa ouviu cinco testemunhas durante audiência de instrução, nesta sexta-feira (15), no caso da morte da gestante Naiara Silva Costa, de 22 anos, e do bebê dela. A esteticista Suellem Coimbra do Carmom, de 27 anos, foi presa logo após o crime e denunciada por duplo homicídio, em Nerópolis, na Região Metropolitana de Goiânia. A mulher teve o depoimento adiado, já que duas testemunhas da defesa não compareceram.

A delegada responsável pelo caso, Azuen Carvalho, foi uma das pessoas ouvidas. Durante o depoimento ela relatou que a Polícia Civil concluiu que a acusada cometeu o crime sozinha, sem ajuda de terceiros.

“Apesar do perito apontar que ao menos mais uma pessoa atuou no crime, mencionei que ela teria condições de carregar corpo da vitima sozinha. A gente acredita que ela esteja querendo usar essa suspeita para atribuir o crime a outra pessoa e alegar insanidade mental”, afirmou ao G1.

Além da delegada, também foram ouvidos parentes da vítima. No entanto, conforme registro da audiência, uma das testemunhas da defesa estava presa, por isso não compareceu, e outra não havia sido intimada. Por causa disso, o depoimento dessas pessoas foi adiado, assim como o da acusada.

Gestante foi morta em Nerópolis após ser dopata e ter bebê retirado, diz Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV Anhanguera) Gestante foi morta em Nerópolis após ser dopata e ter bebê retirado, diz Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Gestante foi morta em Nerópolis após ser dopata e ter bebê retirado, diz Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Crime

Naiara foi morta no dia 27 de junho. De acordo com as investigações, o crime aconteceu porque a esteticista, que tinha sofrido um aborto meses antes, queria ficar com a criança. A suspeita confessou à Polícia Civil que conheceu a vítima nas redes sociais e prometeu doação de enxoval. A esteticista também admitiu ter dopado a gestante.

Na época das investigações, a delegada Azuen Carvalho afirmou que Suellem enforcou Naiara e realizou o parto forçado em seguida. Depois, enterrou o corpo da jovem em uma cova no quintal da casa onde morava. O recém-nascido também não resistiu e acabou morrendo.

No último dia 6 de junho, o Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) denunciou a esteticista.

Quer saber mais notícias de todo o estado? Acesse o G1 Goiás.

 

 

 

PUBLICIDADE
Saúde e Bem Estar Você pode se livrar de micróbios em sua escova de dentes, e só precisa de um ingrediente
Ciência Crânio encontrado em West Sussex sugere que as praias da região foram usadas como cemitérios
Ecologia Meu Jardim: Vespas
Ecologia Artista Sophie Gamand fotografa pit bulls com florais para mostrar seu lado suave e incentivar adoção
Celulares Recursos legais do botão central nos fones de ouvido do iPhone
Saúde e Bem Estar Como ter as mãos lindas e suaves em apenas 60 segundos
Saúde e Bem Estar Depois de conhecê-lo bem você comerá pepinos todos os dias
Ecologia Formiga-Leão: Que monstro é esse?
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE