Mundo

Mundo

Fechar
PUBLICIDADE

Mundo

Polícia Civil apresenta trio suspeito de envolvimento em assassinatos em Juiz de Fora

Rapazes são investigados por um homicídio consumado e seis tentados que ocorreram entre 2015 e 2017. Delegado fez balanço dos casos registrados e apurados neste ano.

 
 -  Polícia Civil apresentou os envolvidos em cinco crimes contra seis vítimas em Juiz de Fora  Foto: Polícia Civil/Divulgação
Polícia Civil apresentou os envolvidos em cinco crimes contra seis vítimas em Juiz de Fora Foto: Polícia Civil/Divulgação

A Polícia Civil apresentou nesta sexta-feira (15) três suspeitos de participação em sete crimes entre 2015 e 2017, todos em Juiz de Fora. Entre as contravenções, estão tentativas de homicídios e um assassinato.

Além disso, um dos delegados de Homicídios da cidade, Rodrigo Rolli, informou que o índice de apuração dos casos registrados na unidade está em 78% e disse que houve redução de 7% nos crimes consumados e de 26,5% nos tentados, em comparação com o mesmo período de 2016.

“Já haviam outros autores que tinham sido presos em relação a estas sete investigações de homicídios, que estamos concluindo com estas prisões. O mais grave seria o homicídio consumado, onde um dos autores já foi condenado há 26 anos. No caso da criança baleada na perna, em abril deste ano, conseguimos apurar a participação de um adulto e de um adolescente que completou 18 anos há pouco tempo. Terminamos este inquérito e vamos remeter ao poder judiciário, pedindo inclusive o acautelamento do menor”, disse Rolli.

Polícia Civil apresenta trio suspeito de envolvimento em assassinatos em Juiz de Fora

Polícia Civil apresenta trio suspeito de envolvimento em assassinatos em Juiz de Fora

A motivação, de acordo com delegado, está relacionada ao tráfico de drogas. “Infelizmente, vemos que no crime especifico de homicídio, consumado ou tentado, o principal pano de fundo é o tráfico de drogas, seja por disputa por pontos ou por dívida. Depois, em momento secundário, briga de bairros”, explicou.

Sobre as estatísticas, ele disse que de janeiro a agosto houve queda nos registros na cidade. “Em 2016, nós tivemos 91 consumados e, neste ano, estamos em 85, diminuição de 7%. Em 2016, tivemos 136 tentados e, neste ano, 100, uma diminuição de 26,5%. Dos 185 crimes deste ano, 144 já têm autoria definida. Em Juiz de Fora, o índice de apuração de homicídios tentados e consumados gira em torno de 78% enquanto o índice nacional é de 20%”, analisou.

Os casos relativos aos presos apresentados

Um rapaz que não teve a idade divulgada foi preso por tentativa de homicídio. A vítima foi uma criança de quatro anos baleada no colo da mãe na Rua Irmã Emerenciana, no Bairro Retiro, na noite de 9 de abril deste ano. O menino, que é filho de um dos envolvidos, foi atingido durante uma troca de tiros entre jovens que disputavam um ponto de venda de drogas.

O outro apresentado foi um rapaz de 24 anos, que foi preso em maio, depois de ficar quase um ano foragido. Ele está envolvido em dois crimes - o homicídio de um rapaz de 25 anos no Bairro Vila Montanhesa e uma tentativa de assassinato contra um jovem de 18 anos, na Rua Minas Gerais.

O terceiro envolvido, de 20 anos, també foi preso em maio deste ano. Ele está envolvido em dois casos de tentativas de homicídios contra um rapaz de 26 anos, em novembro de 2015 no Bairro São Benedito e contra um homem de 48 e um jovem de 28, na mesma ocorrência, registrada em fevereiro de 2016 no Bairro Vitorino Braga.

  • Juiz de Fora

 

 

 

Veja mais:

PUBLICIDADE
Saúde e Bem Estar Coisas que você não podemos emprestar de e para outras pessoas
Mangás e Animes Alguns dos momentos mais hilários dos Simpsons
Turismo Coisas que não são permitidas na Arábia Saudita: cinemas, gatos, mulheres dirigindo...
Celulares Smartphone Red Hydrogen integrará holografia e estereoscopia
Ciência 2037, ano do apocalipse do chocolate, que pode desaparecer.
Saúde e Bem Estar O efeito das bebidas energéticas no seu corpo
Variedades Porque os pilotos diminuem as luzes antes da decolagem?
Educação Bolas gigantes encontradas na Bósnia divide opinião de cientistas
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE